FANDOM


The Elder Scrolls V: Skyrim
The Elder Scrolls Skyrim box
Capa do jogo
Desenvolvedora Bethesda Game Studio
Publicadora Bethesda Softworks
Designer Todd Howard
Engine The Creation Engine
Versão atual 1.1
Lançamento 11/11/2011
Gênero Action Role-Playing (RPG)
Modos Single Player
Classificação ACB:+15 - BBFC:15
CERO:Z - ESRB:M
Plataformas Microsoft Windows, Xbox 360 e PS3
Mídias DVD, Steam
Requerimentos Dual core/AMD Athlon X2 2.0Ghz
2GB de memória
NVIDIA 8600 GT/ATI HD 3650 512MB
6GB de espaço em disco
Windows XP, Vista, 7
Cronologia 4E 201
Metacritic 96/100


The Elder Scrolls V: Skyrim é um jogo single role-playing game (RPG) desenvolvido pela Bethesda Game Studio e publicado pela Bethesda Softworks. É o quinto jogo da série Elder Scrolls, sucedendo o The Elder Scrolls IV: Oblivion. Se passa cerca de 200 anos depois de Oblivion, durante a 4th Era. O jogo foi anunciado em 11 de novembro de 2010, na Spike Video Game Awards, e foi lançado no dia 11 de novembro de 2011.

HistóriaEditar

A história do jogo acontece cerca de 200 anos após os eventos de Oblivion, durante o ano 201 da 4th Era (4E201). O High King of Skyrim foi morto, e uma guerra civil ocorreu por toda a região. De um lado, os que desejavam se separar do império agora em ruínas. Do outro, os que ainda queriam permanecer como parte dele, acreditando na preservação de valores. Para piorar a situação, uma profecia de Elder Scrolls anunciava o retorno dos dragões de Alduin, o deus nórdico da destruição.

O jogador, que é um Dragonborn, começa o jogo como um prisioneiro. Depois de ser capturado tentando atravessar as fronteiras de Skyrim, o jogador e alguns outros prisioneiros, incluindo Ralof e soldados do Stormcloaks, uma facção rebelde que luta contar o império, e o líder do grupo, Ulfric Stormcloak, são levados para uma pequena vila para serem executados por soldados do império. Porém, alguns segundos antes da cabeça do jogador ser cortada, um dragão aparece e ataca todos os presentes. Em meio ao caos, os prisioneiros aproveitam a oportunidade para fugir. Os soldados do Stormcloaks junto com Ulfric Stormcloak ajudam o jogador a encontrar um lugar seguro em uma torre. Porém, o dragão ataca a estrutura e o jogador é obrigado a sair e tentar fugir sozinho. No caminho, se encontra com um soldado imperial chamado Hadvar, que inicialmente ajudava na execução dos prisioneiros. Ele diz para segui-lo até um lugar mais seguro. No meio do caminho, o jogador encontra Ralof novamente, e então decide entre continuar com Hadvar, soldado imperial, ou com Ralof, soldado dos Stormcloaks.

Durante o jogo, é revelado que a guerra civil de Skyrim é o último acontecimento de uma profecia anunciada pelo Elder Scrolls, e que os Dragonborn, entidades nascidas com a alma de um dragão (como o jogador) são os únicos capazes de derrotar o deus nórdico Alduin e os dragões. Eventualmente, o jogador conhece Esbern, um dos últimos remanescentes dos Blades.

JogabilidadeEditar

The Elder Scrolls V: Skyrim acontece em Skyrim, uma região que vem sendo ameaçada por uma guerra civil, seguida pelo retorno dos dragões e de Alduin, o deus da destruição e antagonista da história.

Skyrim fica no extremo norte do continente de Tamriel. É uma região montanhosa, com um clima frio, florestas de pinheiros, campos abertos, planícies árticas e muitas cavernas. A região é dominada por cidades pequenas, vilas isoladas e trabalhadores rurais. A vida selvagem é variada, sendo possível encontrar criaturas pequenas pelas florestas, e criaturas grandes e furiosas em montanhas e cavernas. O clima na maior parte é ensolarado ou nublado, com eventuais chuvas e tempestades. Já nas partes geladas da região, tempestades de neve acontecem o tempo todo. A arquitetura e a atmosfera das vilas e cidades são parecidas com a cidade de Bruma, do The Elder Scrolls IV: Oblivion. Apesar de Skyrim ser aproximadamente do mesmo tamanho de Cyrodill (aproximadamente 41 quilômetros quadrados de área, ou 25.4 milhas), é a região menos povoadas de todo o continente. Em toda a região, existem apenas cinco cidades, mas todas elas são maiores e mais variadas que as das outras regiões do continente. Além disso, existem muitas vilas menores nas proximidades. Skyrim ainda conta com mais de 150 cavernas, todas podendo ser exploradas pelo jogador.

No jogo é possível usar o Fast-traveling, que permite viajar instantaneamente para uma localidade previamente descoberta. O mapa é completamente em 3D, e mostra toda a região com alto detalhe, além de cidades e vilas menores. O jogo também apresenta novos inimigos, como Mountain Giants, Frost Trolls, Mammoths, Frost Spiders, Ice Wraiths e Dragons, além de dragões amigáveis. Também é possível encontrar crianças pelo jogo, algo que não acontecia desde Daggerfall.

A jogabilidade "open-world" da série é dominante em Skyrim. É possível explorar todos os lugares da região (a pé ou de cavalo), e fazer todas as quests do jogo, em qualquer ordem. Além disso, o jogo ainda é capaz de gerar side-quests baseadas no nível de exploração do jogador. Isso permite ter quests infinitas, que sempre irão apontar para objetivos em lugares que ainda não foram explorados pelo jogador. Cada cidade de Skyrim apresenta um estilo próprio, localidades, quests e personagens, além de uma economia que pode ser estimulada ou prejudicada. O personagem do jogador pode evoluir até 18 diferentes skills (habilidades) diferentes e escolher entre 280 perks diferentes ao longo de até 50 níveis (levels). Ao contrário dos jogos anteriores, as skills não sofrem alterações sozinhas de acordo com o seu estilo de jogo, sendo possível ter total controle sobre elas manualmente.

No jogo existem dezenas de armas e armaduras que podem ser criadas, compradas, concertadas ou encontradas pelo mapa ou no corpo de outros NPCs. É possível usar uma arma em cada mão, permitindo assim realizar combos. Usando escudo, é possível realizar ataques de bloqueio especiais. Cada arma também apresenta um ataque final especial, que pode ser mais brutal dependendo das habilidades naquele tipo de armamento. Além de armas, também é possível usar 85 feitiços diferentes, além de ser possível usar feitiços e armas ao mesmo tempo, ou fazer combinações de dois feitiços, um em cada mão, ou carregar um mesmo feitiço em cada mão, causando assim um efeito final maior. Existem feitiços de todos os tipos, para ataque, defesa, ou manipulação de habilidades do jogador e de outros personagens. Para atacar inimigos, é possível também realizar ataques silenciosos, caso a habilidade do tipo seja alta o suficiente.

Skyrim faz o uso do sistema de inteligência artificial chamado Radiant AI. Isso permite que cada personagem do jogo tenha uma rotina própria ao longo do dia, que continua ativa mesmo quando o jogador não está presente. Muitas coisas podem acontecer em uma cidade enquanto você estiver do outro lado do mapa, por exemplo. Os personagens podem conversar, frequentar bares (onde podem ficar bêbados e brigar), fazer compras em lojas, caçar animais, trabalhar (em moagem, agricultura, mineração), além de comerem e dormirem em horários específicos. É possível conversar com quase todos os personagens, e muitas vezes eles podem solicitar favores, vender objetos, disponibilizar treinamentos ou até mesmo propor um duelo. O jogador também pode se casar, e se o jogador tiver uma casa na cidade da ocasião, sua esposa (ou marido) irá morar e cuidar dela. É possível também se casar com alguém do mesmo sexo que seu personagem.

Criação de personagemEditar

A criação de personagens no Skyrim é um pouco menos complexa em geral que em Oblivion. Algumas opções de personalização do rosto estão com menos possibilidades, e não é possível ter total controle sobre a coloração do rosto, cabelo e barba, sendo possível apenas selecionar cores já prontas. Apesar disso, existem novas opções como pinturas de guerra no rosto, cicatrizes, gordura do corpo, cores de partes específicas do rosto, onde também é possível adicionar verrugas ou pintas.

RaçasEditar

Assim como em Oblivion, o jogador pode selecionar uma entre as 10 diferentes raças de Tamriel - Imperials, Nords, Redguards, Bretons, Dark Elves, High Elves, Wood Elves, Orcs, Khajiit, e os Argonians. Cada raça apresenta suas próprias habilidades e poderes. Por exemplo, os High Elves podem aumentar a Magicka e começar com 50 pontos extras nesse atributo, o que pode ser crucial em uma batalha com feitiços.

As raças do jogo são:

Níveis e perksEditar

O esquema de níveis do jogo é basicamente o mesmo de todos os outros da série; você atinge um nível superior com o seu personagem (level up) cada vez que você atinge um nível superior em suas skills. É possível ir até o level 50, mas matematicamente, o jogo permite ir até o nível 70. Isso porque quanto mais evoluído o seu personagem se torna, mais lento e mais difícil será ir para o nível seguinte. Uma diferença em relação aos outros jogos da série é que agora não existe um grupo principal de habilidades seguida por outras secundárias, todas as skills são colocadas no mesmo nível de importância, e todas ajudam no level up.

Uma das novidades do jogo são os perks que o jogador pode escolher a cada nível, que permitem maior especialização em skills. Uma coisa interessante é a interface da escolha desses perks; cada skill do seu personagem tem uma própria constelação, e cada estrela dessa constelação corresponde a um perk. O jogo tem mais de 200 perks diferentes, sendo que a grande maioria deles apresenta efeitos para habilidades específicas. Por exemplo, se você gosta de usar arco e flecha, irá poder selecionar uma perk que aumenta os danos das flechas, ou aumenta as chances de realizar ataques críticos com elas, ou aumenta o poder e a força com que elas são lançadas, e etc.

Ao contrário dos outros jogos da série, agora não é possível aumentar atributos específicos em cada nível. Nos jogos anteriores era possível distribuir pontos em 8 diferentes atributos. Em Skyrim, todos esses atributos se transformaram em skills. Isso deixou o jogo menos confuso.

SkillsEditar

O jogo tem dezoito skills a todo, seis para cada estilo de jogo (mágico, combate e stealth). Em Skyrim, o skill Misticismo (Mysticism) foi removido, mas os feitiços agora usam outras habilidades de mágicas dependendo de seu tipo. Os skills de Acrobacia (Acrobatics) e Atletismo (Athletics) foram removidos por completo do jogo. As skills de armas não foram removidas, mas agora elas estão todas agrupadas em duas únicas skills. Os skills presentes no jogo são:

The Mage (O Mago):Editar

The Warrior (O Guerreiro):Editar

The Thief (O Ladrão):Editar

CombateEditar

Em Skyrim, o combate é muito mais dinâmico e existem mais possibilidades de ataques. É possível usar uma arma diferente em cada mão, assim como também um feitiço diferente em cada mão, uma arma e um feitiço, ou o mesmo feitiço nas duas mãos, realizando assim um ataque mais brutal. O jogador pode fazer diversas combinações de ataques através de combos. Outra novidade é a possibilidade de atacar um personagem usando o escudo. Isso permite se defender de um ataque, causar danos no inimigo ou até mesmo deixar ele atordoado com a pancada.

Outra novidade são os "Dragon Shouts". Durante o jogo, é possível usar essa habilidade especial através de um grito na linguagem dragônica. Ao matar um dragão, é possível absorver a alma dele, aumentando assim essa habilidade especial. Outra forma de melhorar essa habilidade é descobrindo runas de dragões em cavernas e lendo o que estiver escrito nelas. Essa habilidade de "grito do dragão" pode ir desde um simples efeito de lançar os inimigos contra uma parede, a até mesmo a habilidade de chamar um dragão para ajudar na batalha.

Os inimigos são mais inteligentes e agora podem tomar decisões mais táticas. Por exemplo, eles podem mudar de arma se você aparentar ser um inimigo "difícil", podem tentar fugir da batalha ou até mesmo ficarem mais agressivos. Alguns também tentam matar o jogador furtivamente. Inimigos também podem fazer o uso de todas as habilidades, feitiços, armas e armaduras que o jogador tem a disposição.

O estilo stealth de jogo também foi aprimorado. Agora é possível matar os inimigos silenciosamente através de movimentos especiais, como cortando a garganta de uma pessoa por trás. Porém, a visão dos inimigos também foi aprimorada, e agora eles conseguem detectar o jogador com mais facilidade. Um exemplo claro desse sistema fica visível durante um bug que é possível causar em personagens; se você colocar alguma vasilha na cabeça de um deles, eles não irão perceber nada do que estiver acontecendo no lugar, e será possível roubar sem alertar ninguém. Se por um lado isso não é realista, por outro mostra que o campo de visão dos personagens pode ser limitado até mesmo por objetos pequenos.

Outra mudança foi em relação aos níveis dos inimigos. Uma das principais críticas ao Oblivion foi a dificuldade em matar inimigos com personagens avançados, pois os inimigos também aumentavam de nível (até mesmo os mais poderosos). Em Skyrim, isso não acontece; ao invés disso a dificuldade dos inimigos é definida não apenas pelo nível do jogador, mas também pela localização no mapa. Em florestas, a maioria dos inimigos sempre irão ser fracos e fáceis de matar. Mas em algumas regiões do mapa, os inimigos sempre serão muito fortes e poderosos.

Armas e armadurasEditar

O jogo apresenta dezenas de armas, como espadas, machados, facas, martelos, arco e flecha, além de versões especiais de cada uma delas, sendo possível, por exemplo, adicionar efeitos de feitiços em algumas espadas que são lançadas ao inimigo junto com o ataque. Também é possível usar diversos tipos de escudos de vários materiais; os de madeira são uma boa proteção para um personagem stealth que não gostam de carregar muito peso, mas os escudos de metais são importantes em batalhas sangrentas.

As armaduras também existem em grande número, mas agora estão menos complexa. Alguns itens que em Oblivion era possível usar individualmente, agora podem ser usadas apenas em conjunto com uma armadura específica. Segundo a Bethesda, Isso permite que o jogo carregue os personagens em menos tempo e coloque mais deles pelo mapa, pois o jogo irá ter que carregar uma única armadura ao invés de vários itens individualmente. Apesar disso, ainda é possível usar capacetes, óculos, anéis, botas, luvas e correntes.

Interface e gráficosEditar

Skyrim foi desenvolvido usando uma nova engine chamada Creation Engine. Esse novo sistema resolveu muito dos problemas que antes eram criticados no Oblivion, como as animações de personagens, que agora são muito melhores e evitam que o personagem do jogador "deslize" pelo chão. Os gráficos do jogo são de última geração e praticamente todo o mapa é visível de qualquer lugar. Efeitos climáticos, como chuva e neve, interagem com o cenário. Por exemplo, os flocos de neve podem cair nas folhas de árvores (ao invés de passar por elas e caírem no chão). Em montanhas, as tempestades de neve podem dificultar a visão do jogador e afetar a velocidade de ataques e a visão dos inimigos. Isso permite realizar ataques furtivos com mais facilidade nesses locais. Quanto mais alto o jogador sobe, pior o tempo fica.

Radiant AIEditar

O novo sistema permite que cada personagem tenha suas próprias obrigações (ou não) durante todo o dia. Alguns personagens sempre irão acordar em horários específicos para trabalhar. Outros gostam de visitar bares durante a madrugada. Outros são preguiçosos e preferem passar a maior parte do dia dormindo ou comendo em casa. Cada personagem tem seus próprios interesses, e podem fazer isso tudo com ou sem a presença do jogador por perto.

O diálogo do jogo também é diferente. Agora a tela não irá mais "congelar" durante uma conversa. Ao invés disso, é possível conversar com um personagem enquanto ele faz outras coisas, como comer ou trabalhar em uma máquina. Também é possível movimentar a câmera livremente durante o diálogo, permitindo assim acompanhar o que acontece no cenário enquanto conversa. Isso permite um nível de realismo muito maior durante as conversas, já que todos os personagens irão continuar ativos durante elas e muitas coisas podem acontecer nesse meio tempo.

User Interface (HUD)Editar

A interface do jogo foi desenvolvida especificamente para selecionar opções e itens com mais rapidez. Usando um botão, é possível abrir o inventário e selecionar itens, que são exibidos em 3D, sendo possível analisar eles em uma visão de 360. Ao invés de marcar itens com botões do teclado, agora é possível adicionar eles em uma lista de itens favoritos, que ao ser aberta durante o jogo, irá pausar o combate, permitindo que o jogador selecione rapidamente o item que deseja e volte para a ação. O mesmo pode ser feito com poderes, que também podem ser visualizados no menu em 3D.

Toda a interface do jogo pode ser acessada em um único botão, que irá exibir uma espécie de compasso na tela. Se o jogador apertar para cima (ou puxar o mouse para cima), a câmera irá ir para cima e a tela de perks e skills será exibida em constelações e estrelas. Apertando ou puxando o mouse para baixo, o jogo exibe o mapa. Ao invés de um mapa genérico em duas dimensões, o mapa de Skyrim é completamente em 3D, com a câmera se posicionando no alto do mapa (que no caso será exibido em uma qualidade menor para evitar lag) e permitindo ter total visualização sobre as localidades. A direita do compasso abre a tela de feitiços, e a direita ebre o inventário.

Aparentemente, a interface do jogo foi desenvolvida para os consoles, pois dispensa completamente o uso do mouse. Isso fez muitas pessoas criticarem a Bethesda, pois aumentou ainda mais a impressão de que Skyrim é um "port" da versão de console, deixando o jogo menos optimizado para computadores.

LinksEditar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória